Sobre os Bebés que Choram, não Dormem e a Carta da Catarina à Sara

 

Escrevo a vê-lo dormir. Tenho certo que não existe conforto maior que senti-lo respirar num sono que dura horas.

Li hoje o texto da Catarina, aquela miúda que não se vence pelas olheiras, que determina o dom da escrita e da transmissão do vais saber dar conta do recado desde que seja à tua maneira e ao teu ritmo, uma miúda Feliz.

Foi fácil logo nas primeiras linhas recuar 4 anos a esta foto da primeira noite NÃO dormida no hospital. Não melhorou quando chegamos a casa. Aliás, e desculpa Sara, piorou bastante. O miúdo chorava cerca de 4 a 5 horas seguidas todos os santos dias até aos 5 meses, não haviam dias diferentes, não havia o vencido pelo cansaço. Afinal tenho para mim que quem chora 5 horas teria goela para o fazer por muito mais tempo. Acredito que existia um conforto quando atenuava a dor, o mau estar ou pura e simplesmente que o meu desespero o levava a acalmar. Chorámos muitas vezes juntos. Se isso acontecer não tenhas vergonha, faz parte. Depois de tudo o que está ao teu alcance não resultar, é o mais comum de acontecer, é ser Mãe. Questionei-me várias vezes o porquê, tendi a embarcar nas comparações dos bebés que só comiam e dormiam e não davam “pena nem paixão” passando a expressão, mas fui percebendo que o processo de adaptação como qualquer mudança que ocorre não é imediato, que precisa de ser trabalhado e essencialmente aproveitado. Talvez te soe estranho, mas tentei aproveitar ao máximo, carregava com ele para todo o lado, eramos a vergonha pública de qualquer esplanada cheia em plenas tardes de Verão mas não me preocupei muito. Fez parte, fiz muitas vezes frente a mim mesma.

Dei de mamar até aos 4 meses, sendo que aos 3 introduzi o biberão. Se me arrependo? Talvez, sinto que só são totalmente nossos na barriga e no momento em que os alimentamos, depois partilhamos com o mundo para sempre. Pensa nisso quando o desespero apertar. Mas depois, começam aqueles sorrisos tímidos, aos poucos vão dobrando o riso, e aí olha não tem retorno, fazem tudo valer a pena. Divagamos nas opiniões alheias mas há uma que me parece comum, ficam as Saudades desta fase, eu tenho e não são poucas. Ainda hoje o embrulhava no lençol de capuz à saída do banho e o carreguei como se tivesse 1mês, com 16kg de diferença e toalha insuficiente. Ahh mas o colo de Mãe, esse não tem medida e é para a vida toda.

IMG_3783

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *