Então e um blogue porquê?

Ás vezes questionam-me porque criei o blogue. Existe curiosidade alheia numa roda viva onde vivemos sem tempo, perceber-se onde arranjas tempo para fazeres o que gostas. Não é tanto o porquê que me envolve na escrita, mas um misto de para quem e para quê.

E9A06FAC-4F73-4080-9EBF-DF8D75F802DDNa realidade foi para ele, e para que um dia já adolescente que não reconhece o sacrifício que uma mãe andou aqui a bradar durante anos, possa ter um autêntico diário, daqueles “memo” fotográficos dignos de video wall em festarola de casamento. Temos uma ligeira tendência em ir diminuindo a assiduidade com que registamos os momentos dos nossos filhos. Quando nascem tiramos 239 fotografias por dia, aos 2 anos competimos pelo livro de recordações mais completo, aos 4 fazemos nascer um blogue e primamos pela imaginação.
Cresceu, Menino do seu nariz, dono de uma vontade própria que ainda inócua me deixa muitas vezes sem respirar. Admiro-o, não é fácil distinguir a vontade no meio de um mundo difícil de a fazer sobressair. Gabo-lhe a persistência tão siamesa à minha e perco-me nas palavras atropeladas do fruto da idade. Pede para guardar os iogurtes no “fridídico”, reclama que a “mánica” da roupa demora tempo e diz “dá-me a raspa para apagar este desenho”.
Antes que a minha memória raspe estes tesourinhos vou guarda-los aqui, nesta foto de personalidade vincada nos teus ainda 4 anos, mas não já por muito mais tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *